Notícias - Prestigiado produtor de vinho australiano regressa à rolha de cortiça

Prestigiado produtor de vinho australiano regressa à rolha de cortiça

O prestigiado produtor de vinhos australiano Rusden anunciou recentemente, após cinco anos de utilização dos vedantes de rosca (screwcap), a sua decisão de abandonar o vedante artificial e de voltar a utilizar rolhas de cortiça nos seus vinhos.

O prestigiado produtor de vinhos australiano Rusden anunciou recentemente, após cinco anos de utilização dos vedantes de rosca (screwcap), a sua decisão de abandonar o vedante artificial e de voltar a utilizar rolhas de cortiça nos seus vinhos. Esta alteração surge como resultado dos problemas contínuos de qualidade associados ao vedante de alumínio.

Para Carlos Jesus, director de marketing e comunicação da Corticeira Amorim, “é muito animador constatar que vários produtores, nos diferentes mercados, decidem regressar à cortiça, após más experiências com vedantes artificiais. Neste caso particular da Austrália, estas opções são particularmente significativas, dado que não se trata apenas de um prestigiado vinho, mas de um dos primeiros mercados dinamizadores dos vedantes artificiais.”

Num artigo da edição de Julho da revista australiana Wine Business Magazine, Christian Canute, enólogo da Rusden, sustentou que a cave de Barossa Valley foi confrontada pelo mercado com uma série de problemas contínuos de qualidade do vinho relacionados com o vedante artificial e que a decisão de voltar à rolha cortiça se fundamenta pelo excelente desempenho técnico deste vedante natural.

"Depois de uma experiência de cinco anos com screwcaps tornou-se claro que a cortiça é o melhor para os nossos vinhos", afirmou Christian Canute. "Do ponto de vista técnico, de sustentabilidade, ou do ponto de vista aspiracional por parte do consumidor, a cortiça é o melhor aliado do vinho", acrescentou o enólogo
Rusden é reconhecida pela produção de vinhos de grande qualidade, com preços entre os 25 e os 85 dólares, muito consagrados a nível nacional e internacional. Na última década, Robert Parker foi um dos críticos que avaliou de forma consistente a qualidade destes vinhos, com pontuações que ultrapassam os 95 pontos neste período de tempo.

Nos últimos anos, a Corticeira Amorim tem constatado e apoiado estes movimentos de retorno à rolha de cortiça em vários mercados-chave, assim como no Reino Unido ao nível do grande retalho. Ainda recentemente, a icónica cave Sul-Africana Klein Constantia anunciou um retorno à rolha de cortiça no seu vinho branco premium, o Perdeblokke sauvignan blanc, devido a problemas de redução com a screwcap, e a cave Rutherford, sediada em Napa Valley, abdicou da utilização de vedantes de plástico devido a problemas técnicos e de sustentabilidade.