Reciclagem Começar de novo

As rolhas de cortiça são biodegradáveis e absorvem CO2, mas a sua vida não termina depois de aberta uma garrafa. A reciclagem, e a reutilização de materiais, permite que o ciclo de vida da rolha de cortiça se prolongue, contribuindo para um mundo melhor. Embora a cortiça reciclada nunca seja utilizada para fazer novas rolhas, pode ser usada em várias aplicações.

As rolhas de cortiça, tal como o sobreiro que está na sua origem, retêm naturalmente partículas de CO2. Uma única rolha de cortiça é capaz de absorver 309g de CO2. Mas para um material tão especial quanto a cortiça, este é apenas o princípio. Pop! A garrafa acabou de ser aberta e uma nova viagem começa para a cortiça.

Se as rolhas de cortiça são naturalmente positivas, a possibilidade de prolongar o seu ciclo de vida, através da reciclagem e reutilização, dá um novo fôlego ao seu perfil ecológico.

Enquanto maior produtor mundial de cortiça, a Amorim tem desempenhado um papel pioneiro na reciclagem de cortiça. O grupo começou por lançar um programa de reciclagem de rolhas em Portugal - Green Cork - e iniciativas semelhantes foram rapidamente adotadas noutros países, tais como os Estados Unidos e o Canadá  (ReCork), França (EcoBouchon), Itália (Etico), Reino Unido, África do Sul e Austrália. Em diversos países, as campanhas de reciclagem de rolhas revestem-se de dimensão de responsabilidade social; por cada tonelada de rolhas recolhidas, é feita uma doação a uma instituição, beneficiando a sociedade civil.

Embora as rolhas de cortiça sejam sustentáveis por natureza - um produto 100% natural e  biodegradável - o seu impacte ambiental positivo pode ser expandido através da reciclagem. Nas unidades de reciclagem de rolhas da Amorim, rolhas de cortiça usadas são tratadas e transformadas em granulado de cortiça, inaugurando um novo ciclo. Apesar de nunca voltar a ser usada como matéria-prima para outras rolhas, a cortiça reciclada encontrará múltiplas aplicações, de revestimentos a isolamentos, passando por superfícies desportivas, bolas de ténis, sapatos e componentes de aviões.

Reutilizar os subprodutos do processo industrial, para garantir que nada se perde e tudo se transforma, é outra premissa da Amorim. Apenas 30% da cortiça cumpre os requisitos de qualidade necessários para produzir rolhas naturais, mas o resto não se perde. Triturada e transformada em granulado, a cortiça reintegra o processo produtivo para fabricar rolhas técnicas, cortiça expandida ou compósito de cortiça. O resto é convertido em biomassa - pó de cortiça - que cobre mais de 60% das necessidades energéticas do grupo. Das pranchas ao pó de cortiça, um modelo perfeito de economia circular torna-se realidade.

“Trabalhar com um material que não cria desperdício, porque tudo é reciclável, permite-nos desenhar livremente e dá-nos a liberdade de explorar diferentes geometrias”

Amanda Levete, arquiteta

Montado

As florestas de sobreiro, denominadas de Montado, são embaixadores da sustentabilidade e uma força motriz do desenvolvimento sustentável. Têm um papel determinante no equilíbrio ecológico do planeta, combatem as alterações climáticas e a desertificação e protegem a biodiversidade.

Atenção, o seu browser está desactualizado.
Para ter uma boa experiência de navegação recomendamos que utilize uma versão actualizada do Chrome, Firefox, Safari, Opera ou Internet Explorer.