Notícias Media Center

Estudo recente confirma pegada de carbono negativa para rolhas Amorim

2 Set / 2020

Amorim reforça as suas credenciais de sustentabilidade no aniversário dos seus 150 anos. Salvaguardar a biodiversidade do planeta, lutar contra as alterações climáticas e promover a sustentabilidade é mais importante do que nunca. O compromisso Amorim com a sustentabilidade e a economia circular são pilares da sua atividade económica. Tudo começa no montado de sobro - um dos 36 hotspots de biodiversidade do mundo -, mas o compromisso com a garantia de sustentabilidade está presente em todas as unidades de negócio do grupo. Um novo estudo, usando uma metodologia cradle-to-gate, demonstrou como este compromisso com a sustentabilidade traz dividendos vitais à atividade principal do Grupo Amorim de fornecer rolhas de cortiça de alta qualidade para o mercado mundial do vinho e das bebidas espirituosas. As rolhas de cortiça natural e as rolhas para vinho espumante Amorim têm uma pegada de carbono negativa notável e as últimas têm o maior nível de retenção de CO2 da indústria mundial de rolhas. Estas são algumas das conclusões do estudo encomendado pela Corticeira Amorim e realizado de forma independente por consultores da EY em dezembro de 2019. O estudo mediu tudo, desde o solo da floresta às rolhas acabadas e concluiu que os vedantes de cortiça são um aliado significativo na batalha da indústria vinícola para maximizar a sustentabilidade. Os consumidores valorizam cada vez mais produtos que ajudam a proteger o planeta. O estudo confirma que uma única rolha natural capta até 309 gramas de CO2, enquanto uma rolha de vinho espumante, que integra dois discos de cortiça natural, retém ainda mais, até 562 gramas. Isto significa que a cortiça pode minimizar a pegada de carbono das garrafas de vidro - que libertam até 500g de CO2 por garrafa de vidro de 75 cl, em função do seu peso. A cortiça oferece assim uma grande vantagem para as caves, nos seus esforços para assegurar a neutralidade de carbono. A cortiça e o vinho têm sido aliados naturais durante séculos, justamente porque são produtos naturais e podem ser colhidos sem danificar a videira ou a árvore. Preservam habitats vitais, as populações locais e a biodiversidade. Esta relação simbiótica é fundamental para preservar os 2,02 milhões de hectares de montados de sobro nativos em sete países da bacia ocidental do Mediterrâneo. O estudo abrangeu diferentes fases do ciclo de vida na cadeia de valor da cortiça, incluindo atividades de gestão florestal e etapas de tratamento da cortiça. O estudo engloba também o transporte da floresta e a produção, acabamento e embalagem das rolhas.

As rolhas de cortiça natural e as rolhas para vinho espumante Amorim têm uma pegada de carbono negativa notável.

A cortiça e o vinho têm sido aliados naturais durante séculos, justamente porque são produtos naturais e podem ser colhidos sem danificar a videira ou a árvore. Preservam habitats vitais, as populações locais e a biodiversidade.

Para uma comparação justa com estudos anteriores, a distribuição do produto de Portugal para o Reino Unido também foi incluída, juntamente com informações adicionais sobre a fixação do carbono do montado de sobro. Além da pegada de carbono negativa, o estudo também avaliou a pegada ambiental global das rolhas, utilizando métodos alinhados com as recomendações das Regras de Categorias de Pegada Ambiental do Produto (RCPAP) para a pegada ambiental dos produtos de vinho tranquilo e vinho espumante (PAP) emitidas pela Comissão Europeia em 2018. Foram avaliados inúmeros tipos de impactos, incluindo categorias como Alterações Climáticas, Destruição da Camada de Ozono, Toxicidade Humana, Acidificação, Eutrofização Terrestre, Eutrofização de Águas Doces e Marinhas, Utilização da Água e Procura Total Acumulada de Energia. As conclusões do estudo indicaram que Amorim está a adotar opções de transporte e produção de energia mais eficientes e menos nocivas em termos ambientais nas fases de tratamento e produção, em que a energia renovável representa mais de 50% da energia consumida. Afirmou igualmente que os resultados da pegada ambiental das rolhas de espumante Amorim têm impactos ambientais abaixo da média em comparação com os do setor global de rolhas de champanhe. Finalmente, o estudo destacou também a diferenciação entre a extração da cortiça - que não prejudica a árvore - e de outros produtos florestais e concluiu: “Como o sobreiro retém carbono durante mais de 100 anos, independentemente do descortiçamento, a exploração de cortiça apoia a manutenção do ecossistema, tendo assim um contributo positivo para a regulação climática.” Estes resultados ecoam as conclusões de outros estudos recentes, tais como um estudo de setembro de 2018, realizado pela PricewaterhouseCoopers para Amorim, que confirmou que a rolha Neutrocork Amorim, com uma composição de microgranulado de cortiça, retém até 392 g de CO2 por rolha. *O estudo foi baseado nas normas ISO 14040/44 (ISO, 2006), juntamente com as diretrizes do Manual do Sistema Internacional de Dados de Referência sobre o Ciclo de Vida (ILCD) - Guia Geral para a Análise do Ciclo de Vida - Orientação Pormenorizada (CE-JRC, 2010). **Os métodos de ACV usados basearam-se nas recomendações das Regras de Categorias de Pegada Ambiental do Produto (RCPAP) para a pegada ambiental dos produtos de vinho tranquilo e vinho espumante (PAP) emitidas pela Comissão Europeia em 2018.

Atenção, o seu browser está desactualizado.
Para ter uma boa experiência de navegação recomendamos que utilize uma versão actualizada do Chrome, Firefox, Safari, Opera ou Internet Explorer.